​Nossa poesia e nosso teatro têm o remédio para a crise de saúde mental/política.

Publicado por Vitor Pordeus em 9/5/2016

o teatro e a poesia quando bem trabalhados curam sim.

Nossa poesia e nosso teatro têm o remédio para a crise de saúde mental/política.

Tentei assistir televisão e vi que estão loucos, não falam nada com nada, estão tão profundamente perdidos em suas loucuras que nada do que dizem tem verdade ou relação com a verdade. Eles têm relação com o dinheiro e a doença, sistemas e mais sistemas de drenagem do sangue de nosso país e de nossa gente. Iludem multidões com esse péssimo teatro. Nenhum ator dá uma bola dentro, é epidemia de doença mental sendo propagada em rede nacional. Por que?


Atenção: Argumentos vazios levam a loucura. Ajuste o gesto à palavra, e palavra ao gesto. Toda palavra e todo gesto são sagrados. Bendito seja a ação e a palavra. Mentirosos profissionais enlouquecem e causam mal, são governados por impulsos baixos e vulgares, dinheiro. Com essa esquizofrenia cultural se domina uma nação mal-educada, mal informada, oprimida de todos os lados, com níveis vergonhosos de saúde mental, com a taxa de homicídio absoluta mais alta do planeta, que ainda somos nós, os Brasileiros.

Diagnóstico: baixa autoestima devido a processo extremamente violento de construção desta nação, que apesar deste, produzimos uma civilização mestiça, com artistas, cientistas, antropólogos, psiquiatras e todo o resto e temos razão científica para acreditar que a nosso país coube o mito do renascimento da humanidade. Estamos testemunhando o surgimento de humanidade nova, em nosso solo, em nosso povo, nas entranhas e na carne de nossa gente brasileira com essa herança cultural única no mundo, que vai de Exu a Spinoza, de Dionisos a Oxalá. Nós restauramos a cultura da totalidade no mundo ocidental, no nosso afeto, na nossa visão de mundo, na nossa espiritualidade singulares. Pronto. Viva o Brasil e o nosso povo Brasileiro mais lindo e renovador.

Para sair dessa cova da colonização da palavra e do gesto, onde a verdade é impossível, Shakespeare( e tambémBrecht, Artaud, Spinoza, Euripedes,Nise da Silveira, Amir HAddad,Junio Santos, Ray Lima Cenopoesia), tinha a resposta, por exemplo. Por isso ele está trancafiado dentro dos teatros capetalistas e universidades, ambos mausoléus da criatifividade, feitos por atores zumbis que não sabem que matéria estão manipulando e falham em ter saúde mental e promover a saúde mental de seu público pois o conteúdo verdadeiramente, sua força arquetípica, poética, teatral, imagética não circula e vão todos deprimindo e adoecendo mais gravemente por falta de SENTIDO, falta de ancestralidade, de raiz, de IDENTIDADE e AUTO-ESTIMA. Quem não se conhece não se gosta e não se cuida.

Ajusta o gesto a palavra

Ajusta a palavra ao gesto(Shakespeare)

espelho primeiro

espelho humano

me faz enxergar a revelação

representação

Teatro é espaço e relação(Haddad, A.)


Escuta. Cuidar do outro faz bem.(Lima, R.)


E essa confusão dos infernos da política institucional devemos perceber que os mais doentes e mentirosos de todos estão no comando, e sempre estiveram, pois são os velhos colonizadores estão aqui para pilhar e matar todo mundo. A colonização é um estado de mente. Basta você querer controlar a natureza e o outro. É a velha loucura do Fausto, o médico velho e ambicioso que vende a alma ao diabo (http://oglobo.globo.com/sociedade/o-teatro-como-tratamento-para-loucura-19231190)

Como contornar? Organização coletiva e debate coletivo das ações a serem adotadas com o comportamento anti-social sendo trabalhado através das sombras a serem encenadas no teatro. Sem o teatro, ou outro rituais coletivos competentes, não temos saída, sozinhos somos devorados pelo demônio, coletivamente e organizados podemos devorá-lo.

E que um governo que verdadeiramente queira desenvolver o Brasil , com ideias progressistas, de contribuição ao bem público, ao desenvolvimento da consciência pública, deverá promover ações culturais e educacionais permanentes nos territórios e nas comunidades do país, instaurando ágoras culturais e democráticas com atividades culturais, oficinas, treinamento de atores, realização de filmes curta documentários e festivais culturais permanentes em todas as vizinhanças da cidade conforme se inicia o processo de ocupação de hospitais públicos como o Ocupa Nise - Hotel e Spa da Loucura, ativo há 4 anos e trabalhando o espírito do território encontrado por pesquisa de âmbito municipal que é a Dra. Nise da Silveira. Aí deu certo, Nise está com a gente nos ajudando a trabalhar a arte e a ciênca dois temas que ela é Rainha, e juntamos tanta tanta tanta gente maravilhosa dessa Brasil todo Vera Dantas, Vitor Nina, José PAcheco, Amir HAddad, Lula Wanderley, José PAcheco, Sandra Celano, Regina Porto, Ray Lima Cenopoesia, Junio Santos, Edmar Junior Oliveira, Edu Viola, Lourdes Calheiros, Ney Matogrosso, Berenice Xavier, Nilo Sergio Fernandes de Oliveira, Mirian Rodrigues, Jaci Oliveira, Reginaldo Terra, Reginaldo Figueiredo, Fatima Fischer, Sandra Amado, Marcia Proenca, João Lima, João Do Crato, João Pedro Gasparian, Antonio Porto Equi, Pablo Meijueiro, Patricia Carlos Magno, Carlos Meijueiro, Gê Vasconcelos, JV Santos, Thiago Diniz, Gert Wimmer, Marcus Matraca,Gina Ferreira, Lula Wanderley, Heloisa Helena Costa, Paula Ferrão, Chico Cesar, Francine Lemos, Camilla Amado, Luciene Adão, Celia Pordeus,Lucas Weglinski, Roberto Tykanori Kinoshita

Tanta gente maravilhosa, bom caráter, talentosos verdadeiramente, criativos, Brasileiros, conhecem seu país e seu povo, produziram a reversão desse massacre ideológico violento colonizador e Fáustico.

E tem muito, muitos mais brasileiros querendo acontecer e crescer, sair da marginalidade cultural e ideológica, criar, co-criar sua realidade, seu país, sua humanidade para o novo século. Um povo da terra já realizou esse processo: o povo brasileiro, entretanto, uma grande parte de nossa gente permanece escrava ideológica desse sistema importado e cabe a nós, fundamentalmente, os ATORES, aqueles que geram a imagem da nação, os sonhos, projetam o futuro da tribo, são os descendentes dos curadores shamans, dos Pajés, que cantam e dançam para curar a tribo, produzindo imagens melhores, imagens mais claras, mais certas, mais úteis, que ajudam as pessoas a se posicionar para conhecer o mundo, o teatro é a simulação do mundo afetivo e psíquico humano, por isso ele é vital. Sem ele não haverá política possível, pois os gestos e as palavras permanecerão esquizofrênicos, desajustados.

Tem jeito. Tem jeito. Olhem para os artistas e cientistas que não se venderam e conseguiram avançar, vencer as amarras ideológicas e se colocar em ação criadora, a coisa mais vital para a existência humana.