Sobre corrupção e saúde mental.

Publicado por Vitor Pordeus em 18/10/2016

Podemos escolher outra ética e outra estética. Não estamos condenados a mediocridade da corrupção. Somos o povo condenado à originalidade, somos uma nova fase da humanidade. Abra o olho interior.

Nascemos corruptos. Em uma sociedade violenta, genocida, bélica, mecânica, tecnológica, pseudo-científica, burocratica, que em todas as cidades do mundo tiram de 10 a 15 anos de vida das gerações de famílias pobres, que trabalham até a exaustão e a morte, em más condições de vida. Somos corruptos pelos genocídios em curso que somos adestrados a ignorar.
Há entretanto, a promoção desta corrupção por indivíduos completamente inconscientes, mentirosos compulsivos, que fazem o que podem e não podem para agradar aqueles que ocupam posições de poder, e bingo. Os corruptos tem ascenção meteórica, vão dando cada vez mais certo somente em sociedades subdesenvolvidas com indíces da saúde pública medievais. Pois para haver o serviço público eficiente, necessariamente precisa haver equilíbrio na gestão pública, para que o recurso chegue no saneamento básico da área carente, ou no paciente do hospício, é preciso que haja uma grupo de gente honesta, comprometida com a promoção da saúde não com a promoção da corrupção.
Quando por desejo de projeto pessoal de poder, testemunhamos e toleramos a corrupção no cotidiano, cedemos por um emprego, cedemos por um dinheirinho que vamos ganhar, cedemos pela necessidade de sustentar nossas vidas, nossas famílias, que consomem recursos financeiros a todo tempo e nos forçam a nos alienar de nossos afetos, de nossas crenças, de nossos sonhos, para tolerar a corrupção da máquina capitalista, operada por homens máquina, completamente inconsciente, que estão destruindo o Brasil e o povo Brasileiro em nome do dinheiro e do lucro. A corrupção é a ganância, a mediocridade, a incompetência, a visão estreita, a falta de informação. O corrupto é antes de tudo medíocre pois não conseguiu imaginar nem criar um modo de vida mais razoável e prático.
Nascemos corruptos, nascemos doentes, nascemos violentos, embebidos na cultura humana cheia de sombras e defeitos de morte, mas podemos escolher melhorar nossas ações, nossos gestos e nossas atitudes. Podemos repensar nossas histórias e encontrar nossa posição histórica, a posição onde responderemos as perguntas que nossos ancestrais não consequiram respoder. COmo fazer o ser humano dar certo? Como fazer o ser humano se comprometer de verdade consigo próprio? Como fazer o ser humano deixar de sabotar a si próprio e a aos seus compatriotas, com mentiras, auto-enganos, abundantes tolices e burrices?

A resposta está nas experiências bem sucedidas, documentadas, e publicadas nacional e internacionalmente, nem tem segredo mais, tem educação, pesquisa, cultura, co-criação cultural.

Podemos escolher outra ética e outra estética. Não estamos condenados a mediocridade da corrupção. Somos o povo condenado à originalidade, somos uma nova fase da humanidade. Abra o olho interior.