Sobre nosso trabalho com Teatro e Cinema: Arte na (Lou)Cura

Publicado por Vitor Pordeus em 29/9/2015

Nota introdutória ao documentário Arte na Lou(Cura)

Sobre nosso trabalho com teatro e cinema

A arte do ator é arte ancestral de importância estruturante do psiquismo pois é o primeiro espelho, o espelho do corpo, da voz, do jeito, da qualidade humana, na verdade. Não deve ser usada para caricaturas lamentáveis da natureza humana para fins de pura imitação histriônica, arrogante na tentativa de retratar a realidade de forma objetiva e exata, impondo um certo modelo de sociedade opressiva em que os rostos e gostos são sempre os mesmos, não há diversidade, não há diálogo, não há cura, não há conteúdo. Há apenas formas vazias e caducas, que não encerram nenhum exemplo, revelando na verdade a vaidade, a competitividade de mercado, o dinheirismo e utilização oportunista, autoritária e comercial de conteúdos arquetípicos que na verdade são essenciais para a estruturação, manutenção e reorganização da saúde mental individual e coletiva. Acredito que nossa experiência com teatro e cinema no Hospital Psiquiátrico do Engenho de Dentro, fundamentalmente inspirada pela Dra. Nise da Silveira é bem sucedida por que não faz teatro para as pessoas, faz teatro com as pessoas, distribui o que sabe, treina atores, forma cidadãos, atua no território, na comunidade, dialoga com o espaço público e fundamentalmente coopera. Não tem celebridade, tem humanidade. Veja com seus olhos, formule sua opinião.

https://www.youtube.com/watch?v=Bn5EQO5XJO0