Nem Freud. Nem Jung. Quiça Nise. The Big Pharma Rules.

Publicado por Vitor Pordeus em 19/5/2017

Nem Freud. Nem Jung. Muito menos Nise. Abram o olho estudantes de medicina, estudantes da área de saúde, abram o olho profissionais de saúde, jornalistas, profissionais de mídia, profissionais de pesquisa. Cientistas do Brasil, se posicionem, falem, conhecimento e respeito pelo conhecimento é o que falta em nosso país. Vai Galileu Capoeira! Se junte com a cultura popular e entregue o conhecimento a todo o público, é patrimônio coletivo e é o que pode sanar essa loucura coletiva tão grave que estamos passando.

Freud, o neurologista, na virada do século XIX para o XX demonstrou que havia uma autonomia inconsciente por trás das pacientes histéricas que estudou, estudou os sonhos, os atos falhos, os esquecimentos de nomes próprios e descreveu o inconsciente pessoal. Coisa que Spinoza já havia publicado em 1677quando dizia que somos escravos dos afetos.

Jung, o psiquiatra, que havia trbalhado no hospício com os pacientes considerados mais graves, os psicóticos crônicos, observou a mesma autonomia inconsciente no delírio, descobriu com Freud que ambos os delírios e os sonhos têm a mesma matéria de conteúdo, infelizmente as diferenças levaram os dois a se separarem, mas afinal observaram os mesmos fenômenos do psiquismo. Isto é, nossa atividade psíquica é imensamente inconsciente, semi-consciente na maior parte das vezes, particularmente, quando vemos o reinado do dinheiro que é um fetiche, um demônio, objeto dotado de poder pelos próprios homens que se escravizam, e geram um mundo de crise, falta de significado, falta de memória, falta de historicidade, falta de consciência individual e coletiva. Ora, se aqueles que se montaram na máquina pública de saúde tivessem um mínimo de compreensão das obras cientítificas da própria Nise, mas muito antes dela de Freud e de Jung, não fariam a política iatrogênica de megadoses de psicotrópicos no hospício, nos caps, nas residências terapêuticas, e ainda saem no dia da luta antimanicomial posando de progressistas. Não compreenderem nem o Freud, que sendo bom médico, mostrou em centenas de casos a importância de observar atentamente o paciente, seus gestos, suas posturas, sua maneira de falar, suas emoções, para desenrolar sempre o caso de trauma sexual na infância nos casos mais severos, mas o velho Freud já dizia. E na política pública? Reina a corrupção e o golpismo, em todas as esferas, e esse é o retrato mais claro da decadência brasileira, um povo dominado no seu conhecimento, na sua visão de mundo, informados por canais diabólicos de comunicação e vampirizados de todos os lados, e alienados das próprias emoções e cultura, se tornam seres estéreis, incapazes de criar nada, só consumidores da demoníaca e capetalista indústria do entretenimento, que devora artistas no café da manhã, para devorar o cérebro e os neurônios das donas de casas na hora da novela, toda a família brasileira é infectada com esta visão de mundo realista de novela que explica um comportamento tão irracional e infantil, violento, assassino, em nossa sociedade. Quer conhecer a cultura de um povo? Observe quem são seus artistas, seus cientistas, suas celebridades, suas lideranças, eles são os moldes psíquicos que inspiram e orientam o todo da massa de nossa população que apesar de ainda não ter sacado, é informada, guiada e controlada pela televisão. Quem manda na televisão? o dinheiro, as drogas e o sexo submisso. Quem manda nas drogas e no dinheiro? Ela a Big Pharma com seus milhares de cientistas pagos a peso de ouro, produzindo ciência fáustica da maior qualidade e levando nossa sociedade para o fundo do abismo com os vampiros fora de controle destruindo e drenando tudo que podem. Se não teme, é terrível.
Big Pharma no comando graças a ganância e a ignorância de homens e mulheres montados na máquina de gestão pública sem nenhuma consciência ou responsabilidade. Se seu chefe é psicopata e você não se posiciona, você passa pelo efeito psíquico psicopatiador que descreveu a psicanalista paulista Maria Rita Kiehl.
Nem Freud. Nem Jung. Muito menos Nise. Abram o olho estudantes de medicina, estudantes da área de saúde, abram o olho profissionais de saúde, jornalistas, profissionais de mídia, profissionais de pesquisa. Cientistas do Brasil, se posicionem, falem, conhecimento e respeito pelo conhecimento é o que falta em nosso país. Vai Galileu Capoeira! Se junte com a cultura popular e entregue o conhecimento a todo o público, é patrimônio coletivo e é o que pode sanar essa loucura coletiva tão grave que estamos passando.
Vai Universidade Popular de Arte e Ciência! O Hotel da Loucura é o mundo.

publicado:

https://www.facebook.com/vitor.pordeus