Isto que perdura de Isa Lira

Publicado por Vitor Pordeus em 31/7/2019

3o Registro poético da oficina livre de teatro Hamlet em curso na Biblioteca Parque Estadual e no Parque do Santana

Amizades perduram. Elas continuam pois são legítimo sustento para a alma, sentimento refinado, suave felicidade. Relação sagrada. Amizades surgem em qualquer lugar. No nosso ritual de teatro , que mais uma vez aconteceu na praça pública, estamos cultivando amigos. É gente da rua, moradores da rua, desocupados, desempregados, desalentados. Gente que nem entra nas estatísticas dos sérios homens engravatados. Estes não conhecem a rua. Conhecem papéis, números, solidão. Mas a gente da rua se apresenta para o teatro e o teatro para eles se apresenta. Então , neste encontro, cresce a amizade. Acontecem reencontros. Na última apresentação teatral, voltou a Gata. Voltou Claudio. Já somos todos amigos e temos saudades. Não usamos gravatas. Também não somos sérios: cantamos, dançamos, representamos! Temos alegria! Por vezes, alguma tristeza temos também. Montanhas e planícies. Somos loucos! Loucos sim, mas com método. Método ritual, método teatral. *

Quer título ? Isto que perdura.