A RESPEITO DA QUADRA FUNDA

Publicado por Ray Lima em 10/8/2013

"...como o próprio nome revela são poemas de 4 estrofes perfazendo dezesseis versos em que os primeiros instalam uma premissa que vai desenrolando-se numa tensão dialética até chegar ao desenlace, podendo, inclusive, não ser definitivo." (Paulo César dos Santos Leal - in POSFÁCIO. Lima, Ray. Ultrapassagens. Expressão Gráfica, Fortaleza:1994)

Ainda nos 80 do século passado, no Rio de Janeiro, durante um período rico de atuação política e cultural, quando o país passava por mudanças incríveis, criamos esse estilo poético que em síntese seria: quatro estrofes de quatro versos livres e profundos. E por falar nisso, segue mais uma do livro Ultrapassagens:

QUADRA FUNDA

em que barco estou andando

qual o porto que procuro

que águas poluentes percorri

que terras que espaços obscuros atingi?


que cais

que cais em que caí?

tempestades majestosas de espumas

tubarões barcos piratas mil perdões


dedos apontados

palavras incertezas vendavais

gritos beijos sonhos lindos sons articulados

um amor bilhões d'amores e paixões envelhecidas


terra à vista! há um trânsito interrompido

porcos como homens dão grunhidos

o mar secou o vento encolheu as velas

velhas se apagaram nessas vagas desse porto vão escuro.

(Lima, Ray. Ultrapassagens. Expressão Gráfica, Fortaleza:1994)