Manhã de pólen no Hotel da Loucra

Publicado por Magno Myller em 30/9/2014

Uma reflexão de idéias escrita na "cozinha" do hotel. Relata um pouco das minhas impressões sobre o espaço e de como reverbera minha relação

H.L., COZINHA, 25/08/2014 - 09:19 hs.
Acordar de manhã é um ritual,pois a energia aqui tem um sabor sublime de suspensão de consciência.
Estar aqui possibilita o contato mais íntimo com seu inconsciente. Esse contato possibilita um estudo do comportamental humano através dos fragmentos do condicionamento cultural. Nos permite observar nuances que revelam em nós e nos outros, as ligações ancestrais que é claramente perceptível nos clientes que apresentam características infantis.
Esse contato espelha o nosso reflexo ao projetarmos nossa atenção nos aspectos que mais nos chamam a atenção no outro, sejam esses aspectos positivos ou não dentro do nosso julgamento parcial. Pode ser um baque perceber que aquilo que nos chama a atenção no outro é parte da nossa imagem refletida, seja ela consciente ou não.
"...espelho primeiro, espelho humano..."
Aqui a política do afeto e do contato estabelece a busca por outras formas e maneiras de comunicação, entramos em diálogo olho-no-olho, diálogo no toque, Diálogo na dança, diálogo na música. A pessoa passa a se expressar através da arte. E a arte reverbera mais que as drogas verbo-psi-co-ativas que os clientes artísticos são tratados, isto se reflete na melhora aguda de suas relações humanas.
Não é de se admirar que numa sociedade que emudece as suas manifestações artísticas tenhamos um sério problema crônico de comunicação. Relacionemo-nos. A dança, o canto, e a expressão através de desenhos precedem a escrita e até mesmo a própria fala São uns dos nossos contatos ancestrais mais íntimos.
Estamos pesquisando novas ou melhores diferentes formas de diálogo e contato.
Somos todos artistas pacientes nessa grande roda de cuidados e estudo de um teatro vivo, atuando no show da Vida nos palcos do mundo.