Impressões Do Hotel 07/10/2014

Publicado por Magno Myller em 7/10/2014

Minhas impressões sobre essa terça feira no hotel.Tivemos Oficina de ação expressiva, Roda de cuidado, relaxamento, diálogo. Viva a arte!

E aew seus, Doidos,
As atividades hoje começaram às 10:30 com a participação de três clientes. Com todos deitados em um colchão Iniciei uma massagem individual em cada um deles, foi lindo ver o André deitado quietinho esperando a massagem. Quando chegou sua vez foi interessante perceber como ele reagia aos estímulos. Seu corpo agradecia.
O resultado foi um estado de tranquilidade e cuidado. Finalizamos a nossa seção de relaxamento com contato de roda e olhares presentes. Foi magnífico.
Recebemos a visita de estudantes de psicologia de minas gerais e pude compartilhar com eles algumas experiências da minha vivencia no hotel. Antes de partirem propus uma atividade com todos e fizemos uma grande roda que mal coube na sala para experimentarmos alguns exercícios que se finalizou com violino, bumbo, palmas e música.
Na oficina de ação expressiva trabalhamos como de costume o desenvolvimento expressivo do ator na relação, estimulada através das músicas, figurinos e... "contato". Recebemos a visita de alunos do colégio PH que chegaram participando e se relacionando com os presentes, tímidos porém não hesitantes.
Vieram visitar o hospital para elaborar um trabalho sobre esquizofrenia e no meio do nosso tour pelo Hotel encontramos com o Otávio (cliente-ator) que compartilhou conosco sua relação com a esquizofrenia. Foi uma bela palestra de quem tem experiência no assunto. Fizemos muitas perguntas: como começou, quando, o que ele sente, como é a sua relação com isso, etc... Uma verdadeira aula.
Costumo dizer que ninguém vem ao hotel atoa. O hotel escolhe seus visitantes. Quando me vi nos olhos daqueles jovens na sua estranha familiaridade com a linguagem (a arte é universal), as paredes e os princípios. foi muito gratificante. Posso crer que podemos fazer muita coisa e temos muito trabalho a fazer.
Encontrar nossos olhares e afinar nossos diálogos, reconhecermos a necessidade de mudar o nosso comportamental. E não deixar que essa consciência de conduta humana morra, mas propagar cada vez mais transformando-a em uma corrente. A corrente onde os elos se ligam à todos os elos que por sua vez se movem respeitando o equilíbrio natural da energia. Esses são só alguns dos nossos objetivos. Temos muito à fazer.